segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Conscienciograma



Thiago Leite

             A Conscienciologia considera que cada consciência, ou seja, cada pessoa, se encontra em processo evolutivo que abrange várias vidas (multiexistencialidade), alternando-se existências intrafísicas (na dimensão material, onde nos manifestamos através do corpo humano) e extrafísicas (entre duas vidas humanas, quando nos manifestamos principalmente pelo psicosssoma – corpo emocional, conhecido popularmente como corpo astral).
            A ciência da consciência propõe uma escala evolutiva, cujo ápice é o Homo sapiens serenissimus ou Serenão/Serenona, considerado o limite de desenvolvimento individual na existência intrafísica. Em teoria, o Serenão é um ser humano, homem ou mulher, com domínio de todos os seus veículos de manifestação (holossoma) e de todas as suas faculdades conscienciais, trabalhando em processo assistencial muito mais amplo do aquele realizado pela pessoa comum, de abrangência continental e multidimensional (policarma), anonimamente, sem assédios interconscienciais e sem gerar dependências de qualquer tipo.
            A maioria de nós podemos ser considerados Pré-Serenões comuns, que ainda não alcançamos a condição de ser desperto (dessassediado permanente total, com 50% do desempenho do Serenão) nem a de Orientador Evolutivo (75%), estando numa média de 25%. O Serenão, nessa escala, teria 100% do desenvolvimento de seu domínio holossomático e de seus atributos conscienciais.
            O pesquisador Waldo Vieira, propositor da Conscienciologia, apresentou em 1996 a obra Conscienciograma: Técnica de Avaliação da Consciência Integral. Ao mesmo tempo um livro e uma técnica, o Conscienciograma é uma ferramenta da Conscienciometria, especialidade da Conscienciologia que busca meios para cada consciência aferir qualitativa e quantitativamente seu próprio desempenho evolutivo, tendo como modelo e parâmetro o Serenão.
            O Conscienciograma é composto de 2.000 perguntas a serem autoaplicadas e respondidas com uma nota, cuja média dá à consciência uma estimativa de seu desempenho evolutivo e dos esforços que precisa empreender para se melhorar. As questões não têm resposta certa ou pronta, e devem ser norteadoras da autorreflexão, a ser aplicada com autocriticidade.
            Eis um exemplo de questão referente à Bioenergética e ao aspecto da sanidade (homeostase da consciência intrafísica – conscin), encontrada na página 83 do Conscienciograma:
            “Qual a sua lucidez quanto às prioridades na defesa do holososma? Você já perpetrou alguma tentativa de suicídio?”
            As perguntas estão divididas em duas seções principais. A primeira considera os aspectos holossomáticos da consciência intrafísica (conscin), ou seja, as condições de seu soma (corpo físico), seu energossoma (corpo energético), seu psicossoma (corpo emocional) e seu mentalsoma (corpo mental ou paracorpo do discernimento). A segunda explora os atributos conscienciais da liderança (maturidade quanto à vida social), comunicabilidade (maturidade quanto à cultura didática), priorização (maturidade quanto ao livre-arbítrio), coerência (maturidade quanto à moral inicial), consciencialidade (maturidade quanto ao tempo evolutivo) e universalidade (maturidade quanto à Cosmoética).
            Cada um desses 10 aspectos (veículos de manifestação e atributos conscienciais) está dividido em 10 subseções, cada uma contendo 20 questões. O desafio da consciência disposta a se submeter ao Conscienciograma é completar todas as 2.000 questões, refletindo com discernimento sobre cada uma delas. Esse processo não só auxilia a pessoa a se conhecer de maneira mais profunda, mas também aponta os aspectos em que a consciência já tem um bom desempenho (traços-força – trafores), aqueles que precisam ser melhorados (traços fardos – trafares) e os que precisam ser adquiridos (traços faltantes – trafais).
            Você já procurou se aprofundar num autodiagnóstico para aferir seu desempenho evolutivo? Tem ideia de quais sejam seus traços-força, traços fardos e traços faltantes?
            Para mais detalhes sobre Conscienciometria e o Conscienciograma, a CONSCIUS – Associação Internacional de Conscienciometria Interassistencial, sediada em Foz do Iguaçu/PR, oferece cursos voltados para esses assuntos. Informações: www.conscius.org.br.

Referência: VIEIRA, Waldo. Conscienciograma: Técnida de Avaliação da Consciência Integral. Rio de Janeiro: IIPC, 1996.

Thiago Leite é voluntário do INTERCAMPI em Natal.
Fonte: Site da Intercampi, acessado em 11/11/13. http://intercampi.org/2012/02/16/conscienciograma/

2 comentários:

  1. Gostei do Blog, sugiro que vejam e reflitam: Aline da Cidade das Pirâmides.
    “O outro é um universo paralelo ao seu, você é o centro do seu universo” http://deolhonomundo.com

    ResponderExcluir
  2. Como funcionar as respostas?
    Quase todas, senão todas as perguntas são amplas e reflexivas, para cada pergunta é preciso dar uma nota de 0-20? É isso?

    ResponderExcluir