terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Serenão

O que é o Serenão?
O Serenão ou Homo sapiens serenissimus é a consciência altamente evoluída, verdadeiro fulcro de serenidade operante, conscin antiemotiva, denotando extrema tranqüilidade, equilíbrio constante, holomaturidade consciencial e discernimento cosmoético em tudo.

Quais as características do Serenão?
O Serenão é uma consciência que cresceu por dentro. Não aparece por fora. É fruto de vitória íntima, sem qualquer ostentação. É o modelo evolutivo do conscienciograma para a sua avaliação.

Em relação a Evolução o que o Serenão apresenta?
Apresenta nível evolutivo inconfundível, para maior, de sua consciência em relação à média dos seres intrafísicos neste Planeta, vivendo a fase final da fieira de suas seriéxis milenares, a fim de se tornar uma CL, ou Consciência Livre.

Por que o Serenão tem este nome?
Porque é a sua condição íntima, exteriorizada no visual extrafísico, de serenidade plena, antiestressante, contenção sem toxidade, e bem-estar inabalável e indiscutível. É o megatrafor específico ou a característica básica, do Serenão.

Como é o Serenão na vida intrafísica?
Quando na vida intrafísica, sua existência é multidimensional, pois utiliza o soma como pião para a vida atuante, simultânea, entre múltiplas dimensões conscienciais, em uma condição prática, universalista.

E quanto ao domínio bioenergético do Serenão?
O Serenão tem sua função de usina bioenergética através do domínio evoluído, tranqüilo, sofisticadíssimo mas singelo, das cargas de energias conscienciais empáticas, carismáticas, ortopensênicas, assistenciais, defensivas e terapêuticas.

Ele nos ajuda a evoluir?
Sim, promove a propulsão e catálise do nível evolutivo ascendente das consciências(conscins e consciexes) em torno, sem gerar defasagens mutiladoras (estupros evolutivos) ou prejudiciais aos seres humanos.

Poderia comentar sobre o anônimato do Serenão?
Tem uma hábil e paradoxal evitação de ser registrado pela História Humana (camuflagem evolutiva), mantendo-se estritamente ignorado e desconhecido daqueles seres intrafísicos a quem assiste (profilaxia da gurulatria), embora constituindo modelo evolutivo, atuante e vivo, produzido pela Humanidade, ou pela Socin, ainda patológica (paradoxo).

Gostaria de saber mais sobre como o Serenão funciona, qual a fisiologia do Serenão?
Tem algumas características evolutivas, bem específicas, pelo menos estas 10, no que diz respeito à sua vida intrassomática:
1.      Cérebro. Ele utiliza 100% do cérebro, enquanto o ser humano comum utiliza de 3 a 20% da capacidade do encéfalo.
2.      Cerebelo. Com reflexos extraordinários, controla o seu cerebelo e produz a dessoma, ou a autodesativação somática (primeira morte ou projeção final) quando quiser, de modo sadio. Ocorre, então, o tempo todo, uma relativização da sua vida intrafísica.
3.      Autônomo. Controla o sistema nervoso autônomo (simpático e parasimpático, órgãos e sistemas autônomos), superintende o metabolismo e emprega suas ECs, ou energias conscienciais, para efetuar alívio em outras pessoas (autoconsciencialidade e consciencioterapia).
4.      Eletromagnetismo. Canaliza e controla toda a energia eletromagnética do soma, gerando fenômenos e efeitos físicos diversos.
5.      Holochacralidade. Focaliza e concentra todas as ECs, igual a um raio laser dominando completamente a ectoplasmia.
6.      Psicossomaticidade. Sente o que você e eu sentimos, quando em contato mais direto conosco (assim, ou assimilação simpática, telediagnóstico ou heterodiagnóstico).
7.      Mentalsomática. Possui inteligências múltiplas e elevadas e, por isso, ainda não temos meios para mensurá-las (hiperacuidade e holomaturidade).
8.      Holossomaticidade. Atinge a sincronia completa com outros seres vivos a partir do acoplamento áurico (clima interconsciencial e interfusão holossomática).
9.      Psicofisiologia. Controla o relógio biológico ou psicofisiológico, através do EV, ou estado vibracional (homeostase holossomática).
10.  Evolutividade. Em uma escala de evolução o Serenão (ou Serenona) está alguns milênios à nossa frente, no seu futuro-presente (megapoder consciencial).

Eu não acredito que exista uma consciência tão evoluída como o Serenão, poderia comentar?
Se temos, abaixo de nós, tantas raças progressivamente menos evoluídas, por que não podem existir outras tantas raças, progressivamente mais avançadas, acima de nós, na fieira da evolução consciencial?

Poderia citar 3 traços que caracterizam os Serenões?
Podemos considerar 3 traços conscienciais comuns aos Serenões em geral:
1.      Maxifraternidade. Interesse geográfico, intrafísico, com espírito continental de maxifraternidade. Ele se sobrepõe aos países – de modo supranacional – e atua com repercussões evolutivas em continentes. Não há Serenão intraterrestre. Todos evoluíram em múltiplos planetas através de milênios. Os pré-serenões são mais velhos que a Terra.
2.      Antibelicismo. Conduta antibelicista, generalizada, de modo onipresente e multidimensional, o tempo todo.
3.      Assistencialidade. Assistência multidimensional às consciências – conscins e consciexes – em todos os níveis dentro da psicosfera consciencial deste Planeta.

Poderia citar alguns Serenões que já passaram pela Terra, e quais os seus traços holopensênicos individuais?
Eis os traços holopensênicos pessoais de 4 Serenões, dentre os já mapeados hoje e designados aqui, individualmente por simples apelido ou epíteto:
1.      Australino. Caracterizam o holopensene deste Serenão: Argentina; assistência à Antártida; Ilha de Páscoa; Malvinas e Cone Sul; fronteiras; antigas civilizações; cooperação efetiva na abertura do idioma espanhol para o Mundo; reurbanização extrafísica de sítios antigos; e o antibelicismo. Ainda na vida intrafísica, parecia não ter 50 anos de idade em 2001; compleição vigorosa; moreno claro, tostado pelo Sol.
2.      Ki-lin. Caracterizam o holopensene deste Serenão: China; assistência às populações do Oriente, notadamente ao 1/5 chinês da atual população planetária de 6 bilhões e 500 milhões de seres humanos; abertura da cultura chinesa para o mundo em futuro próximo; e o antibelicismo. Ainda na vida intrafísica, apresentava mais de 70 anos de idade (Ano 2000); talhe delicado; olhos vivíssimos; e cabelos brancos ralos. Dessomou em 2003.
3.      Monja.  Caracterizam o holopensene desta Serenona: Espanha. Assistência interdimensional; assistência intercontinental; abertura do orientalismo; desconfrontação extrafísica; metologia muldimensional; e o antibelicismo; Mais íntima às atividades da Revolução Consciencial promovida pela Conscienciologia e a Projeciologia. Está hoje na vida extrafísica.
4.      Reubanizador. Caracterizam o holopensene deste Serenão: Alemanha; promoção de reurbanizações extrafísicas; assistência aos órgãos internacionais de maxifraternismo, ONU, Unesco, união das 2 Alemanhas, queda do Muro de Berlim, demografia européia, Parlamento Europeu, Estado Europeu, União Européia, euro, e outros; defesa da Ecologia ou a promoção da Revolução Ambiental; e o antibelicismo. O mais potente dos Serenões conhecidos. Esta, hoje, na vida extrafísica. Tinha o soma desestruturado pela idiotia, deformado, oligofrênico, quando viveu na matéria até 1990.

Poderia fazer um cotejo entre as condições do Serenismo das condições do pré-serenismo?
Pelo psicossoma, podemos identificar as reais condições íntimas pelas quais somos, ou não, pré-serenões, em busca da condição consciencial evoluída do serenismo:

Condições do Serenismo                                Condições do Pré-Serenismo
Abrandamento, discernimento
Irritação, agastamento sem razão
Acalento, carinho energético
Desatino, sobrecarga energética
Acalmia, paciência madura
Impaciência, furiosidade animal
Alívio, desafogo de espírito
Injustiça, agravamento do pior
Amortecimento, isenção nos atos
Exaltação, pioria do ambiente
Apaziguamento, conciliação
Inquietação, desacordo ilógico
Autenticidade, clareza de visão
Insinceridade, dissimulação
Autocontrole, imparcialidade
Descontrole emocional eventual
Bálsamo, amenidade social
Febricitação, provocação negativa
Benignidade, bondade vivida
Malignidade, contra-senso imaturo
Bonança, renovação de conceitos
Agitação, pasmaceira nas atitudes
Brandura, ternura nos modos
Dureza, rigidez de pontos de vista
Comedimento, senso de justiça
Descomedimento, arrebatamento
Doçura, espontaneidade pura
Exacerbação, descontentamento
Gentileza, cortesia natural
Rudez, grosseria no trato social
Imperturbabilidade evidente
Desvario, anarquismo nas ações
Leniência, equanimidade
Aspereza, incivilidade indenfensável
Lenificação, afabilidade
Histerismo, disparates nas atitudes
Melhoria, evolutividade
Sevageria, involução lastimável
Método, prudência na vida
Indisciplina, desorganização
Moderação, reflexão coerente
Imoderação, rebeldia incoerente
Modéstia, discrição de fato
Imodéstia, megalomania disfarçada
Pacificação, espírito de ordem
Impetuosidade, violência egóica
Razoabilidade, flexibilidade
Intrasigência, inflexibilidade
Refrigério, conforto presencial
Paroxismo agônico irrefreável
Relaxe, autoconfiança
Turbulência, insegurança inescondível
Sobriedade, parcimônia
Iracúndia, desperdício existencial
Suavidade, harmonia consciencial
Rispidez, desarmonia consciencial
Temperança, sensatez lógica
Intemperança, assanhamento
Tranquilidade manifesta nos atos
Desassossego, exasperação irracional

O que eu posso fazer para atingir o Serenismo mais depressa?
Eis 14 aquisições que ajudam na conquista do Serenismo:
1.      Livre-arbitrío. Priorização da qualidade do próprio livre-arbítrio maduro.
2.      Holomaturidade. Valorização da holomaturidade, ou maturidade consciencial integrada (holossomática, holomemória, multiexistências, retrocognições).
3.      Tudologia. Biblioteca pessoal de obras libertárias (tudologia ou pantologia).
4.      Auto-incorrupção. Manutenção da maior auto-incorrupção permanente possível.
5.      Cosmoética. Busca do entendimento profundo na vivência da cosmoética.
6.      EV. Instalação do EV pessoal profilático, o mais constante e freqüente possível.
7.      Isca. Convivência, cada vez mais produtiva, com os miniassédios, transformando-os em serviços assistenciais lúcidos (isca assistencial lúcida).
8.      PL. Exercício crescente da PL, ou autoprojetabilidade consciente.
9.      Tenepes. Prática habitual da tenepes (tarefa energética pessoal) em evolução ininterrupta ao longo do desenvolvimento da vida intrafísica.
10.  Ofiex. Monólogo psicofônico vivido, objetivando a ofiex ou oficina extrafísica.
11.  AM. Empenho para se obter a AM, ou autoconscientização multidimensional.
12.  Universalismo. Passagens cada vez mais rápidas do microcosmo (particularidades da minipeça) ao macrocosmo (Universalismo do maximecanismo).
13.  Memórias. Redução dos amortecimentos das múltiplas memórias conscienciais.
14.  Desperticidade. Alcançar a condição do ser desperto ou o desassediado permanente total, a meio-caminho do serenismo verdadeiro.

Referência Bibliográfica: 700Experimentos da Conscienciologia, pag. 749, 750, 751, 753, 759 e 761.

Nenhum comentário:

Postar um comentário