terça-feira, 15 de novembro de 2011

Energossoma

O que é energossoma?
Energossoma ou holochacra, é o invólucro vibratório, energético, luminoso, vaporoso e provisório que coexiste estruturalmente e circunvolve o corpo humano, estreitamente ligado à exteriorização de energias, ao cordão de prata e aos chacras; agente energético intermediário entre o psicossoma e o corpo humano.
Sinonímia. aerossoma I; armadura energética; casca luminosa; contracorpo; cópia vital humana; corpo de vitalidade; corpo diáfano; corpo efêmero; corpo energético; corpo etérico; corpo kesdjun; corpo lepto-hílico; corpo leptomérico; corpo ódico; corpo prânico; corpo unificador; corpo vital; djan; duplo etérico; duplo vital; grande fantasma; lastro do psicossoma; pranamayakosha; primeiro corpo de energia; reboque energético; reflexo do corpo físico; umbra; veículo de vitalidade; veículo de prana; veículo energético; veículo semifísico; véu do corpo humano; véu etéreo.

Onde o energossoma se manifesta?
No intrafísico, é a dimensão energética mais densa ou material, e na dimensão energética, onde se desenvolvem os fenômenos e as ocorrências da vida energética.

Como se manifesta?
O energossoma reage a todos os pensamentos e emoções do individuo, influencia as funções e controla o metabolismo do corpo humano, atua na nutrição e reparação das células gastas ou enfermas, substituindo-as por outras, sadias, recuperando as perdas materiais do corpo humano que se renova inteiramente a cada 158 dias (hipótese). Há total interdependência e estreita solidariedade entre o holochacra e o corpo humano. As alterações de um acarretam alterações no outro veículo.

Quais são suas características?
Eis 9 características do holochacra mais relevantes:
1.      Forma humanóide geralmente maior do que a do corpo humano.
2.      Corpo da vitalidade.
3.      Doppelgänger (Alemanha) ou o duplo fantasma.
4.      Figura energética do corpo humano.
5.      Luminosidade.
6.      Coloração às vezes preta e branca.
7.      Natureza híbrida ou estrutura física e extrafísica.
8.      Diferenças na conscin e na consciex que passou apenas pela primeira dessoma.
9.      Parece mais ligado ao umbilicochacra ou à área do plexo solar.

Apresenta relações diretas, além de outras, obviamente, com 16 condições conscienciais ou fenômenos relevantes que envolvem a conscin:
01.  Soma. O corpo humano ou soma.
02.  Conexão. O cordão de prata (conexão energética)
03.  Paracorpo. O psicossoma ou o paracorpo emocional da consciência.
04.  Chacras. Os chacras ou centros de força.
05.  Sexochacras. O sexochacra, a kundalini ou fogo serpentino (sexossomática).
06.  Psicosfera. A concha protetora ou psicosfera da pessoa ou conscin (holopensene pessoal)
07.  Aura. A aura humana ou a fotosfera energética da conscin.
08.  Visão. A visão panorâmica pós-dessomática das consciexes (ex-conscins) chegadas recentemente à extrafísicalidade ou intermissão, e que ainda não passaram pela segunda dessoma.
09.  EQM. Os fenômenos da quase-morte (EQM)
10.  Dessoma. A primeira dessoma, morte biológica ou morte cardiopulmonar e cerebral.
11.  EV. O estado vibracional (EV)
12.  Exteriorização. A exteriorização ou liberação das energias.
13.  Parapsíquismo. As manifestações parapsíquicas em que atua como catalisador das energias consciências.
14.  Fenômenos. Os fenômenos parapsíquicos com efeitos físicos.
15.  Autoscopia. A autoscopia externa.
16.  Projeções. As projeções consciênciais múltiplas.

Como é visto o energossoma?
Pode ser visto acompanhado por formações de vapor, neblina violácea, névoa ou nuvens de fumaça. Na paranatomia do holochacra deve ser considerado os chacras, e a aura humana e os milhares de nadis (72.000) ou pequenos canais de circulação energética, que formam uma trama no interior e na superfície do holochacra, transmitindo energia às células do corpo humano.

Quais parapatologias afetam o energossoma?
Pelo menos estas 8 variáveis:
1.      Soltura. Soltura patológica do holochacra.
2.      Projeção. Desprendimento ou descoincidência mórbida da conscin.
3.      Parapsicoses. Parapsicoses pós-dessomáticas das consciexes.
4.      Sexochacra. Despertamento prematuro das energias do sexochacra.
5.      Repercussões. Fenômenos de repercussões parapsicofisiológicas de origens holochacrais.
6.      Amputações. Conseqüências das amputações de  membros do soma.
7.      Retenção. Incapacidade de retenção da energia consciencial.
8.      Chacras. Parapatologia dos chacras.

As doenças energéticas deixam de existir após a dessoma?
Quando a mesma consciência descarta os resquícios das conexões do holochacra no psicossoma, através da segunda dessoma, todas as doenças adstritas às descompensações das energias consciências perdem sua razão de ser, pois deixa de existir a suposta causa ou o móvel único desses distúrbios: o holochacra.

No entanto, nem as doenças orgânicas nem os distúrbios energéticos da consciência deixam de existir, como seria de se esperar, após as passagens da primeira e da segunda dessoma, devido a ação poderosa (paracondicionamento psicológicoque forma as condições da paragenética individual) da vontade pelo mentalsoma e as autotransfigurações do psicossoma.

Daí nascem as doenças holocármicas, ou os distúrbios secularmente cronicificados, que vão de uma vida humana para outra ou de um holochacra para outro, adstritos a parapsicopatologia do psicossoma e do mentalsoma.

Um comentário: