terça-feira, 15 de novembro de 2011

Técnica da circulação fechada de energias

O que é a circulação fechada de energias?
É o controle consciente dos movimentos energéticos dentro de você mesmo, da sua cabeça até os seus pés e mãos, e o retorno à sua cabeça.

Sinonímia. circulação energética interna; dinamização do estado vibracional; energias em circuito fechado; energização fechada.

Qual a utilidade desta técnica?
Destacam se pelo menos estas 6:
1.      EV. Intalar o estado vibracional (EV), condição que predispõem a decolagem até consciente da sua consciência projetada através do psicossoma.
2.      Autoconfiança. Motivar você intensamente, dando-lhe a autoconfiança para usar as próprias energias conscienciais e permitir-lhe distinguir as energias externas que você recebe.
3.      Digestão. Acelerar a sua própria digestão em ocasiões oportunas de assistência interconsciencial.
4.      Autocuras. Sanar distúrbios orgânicos,  minidoenças e pequenas indisposições.
5.      Profilaxia. Obter mil e um recursos conscienciais positivos e profiláticos facilmente concebíveis por você ou por qualquer pessoa (tacon, tares, tenepes).
6.      Autodefesas. Bloquear completamente as entradas de energias indesejáveis ao seu mundo interior ampliando as suas autodefesas energéticas (auto-encapsulamento).

Pode-se fazer a energia circular sem ser exteriorizada, da cabeça até os pés e dos pés até a cabeça, várias vezes, revertendo logo depois a manobra para a condição do estado vibracional intensíssimo, por todos os veículos de manifestação da consciência. Tal prática esteriliza vibratoriamente o ambiente, traz profundo bem-estar, disposição positiva e autoconfiança à conscin, homem ou mulher.

Como se faz a técnica?
A técnica da autodefesa energética, em circuito fechado, pode ser assentada em 6 manobras básicas:
1.      Pés. Fique ereto, com os pés separados um do outro. Cerre as pálpebras. Deixe os braços caírem ao longo do corpo. Dirija o fluxo (ou influxo) de suas energias, pela impulsão da vontade, da cabeça até as mãos e os pés. Se não sabe o que é bionergia, não se preocupe. As práticas vão lhe mostrar toda a realidade energética. Se você nada sentir nas primeiras tentativas, não se impressione. Insista que acabará sentindo. Isso é  inevitável porque pertence ao desenvolvimento da parafisiologia de todos nós.
2.      Cabeça. Traga de volta o fluxo das suas energias, pela impulsão da vontade decidida, do pés até a cabeça. Aqui, você já pode identificar a direção do fluxo das energias para cima, contrária á anterior.
3.      Discriminação. Repita 10 vezes os mesmo procedimentos, sentindo e discriminando o fluxo das energias varrendo as várias partes e órgãos do seu corpo humano. Aqui começam os desbloqueios, as compensações e a eliminação das despotencializações das suas energias em todos.
4.      Velocidade. Continue os mesmos procedimentos, sentindo e discriminando o fluxo das energias varrendo as várias partes e órgãos do seu corpo. Aqui começam os desbloqueios, as compensações e a eliminação das despotencializações das suas energias em todos os seus centros e pontos energéticos.
5.      Intensidade. Prossiga com os mesmos procedimentos aumentando, agora, ao máximo, a intensidade (ritimo ou volume) do fluxo das energias. Esse fluxo passará a compor circuitos cada vez maiores e mais potentes e você perceberá isso.
6.      Vibracional. Instale, por fim, o estado vibracional. O fluxo e circuito fechado desaparecem e toda a sua psicosfera tornar-se-á completamente “acesa”, “feérica” ou “incandescente” com as energias vibrantes.

Procure repetir todo o processo, a princípio várias vezes por dia, em condições, situações e circunstâncias diferentes, sempre mantendo-se, se possível, na posição de pé, ereto. Por exemplo: nu (ou nua) no banheiro; vestido esportivamente; vestido socialmente; segurando embrulhos; debaixo do Sol; sob a chuva; e em outras condições variadas.

Quantas vezes devemos aplicar a técnica durante o dia?
É necessário fazer a circulação das energias nas circunstâncias e injuções existenciais mais díspares, porque nunca se sabe quando precisamos mais de nossas defesas energéticas. A vida diuturna oferece sempre muitas surpresas, e nem todas são bem vindas ou agradáveis. Devemos viver preparados e alertas, energeticamente, 24 horas por dia, o ano inteiro, a vida toda.

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia
    Gostei da explicação, mas tenho uma dúvida a respeito.
    O que eu sinto quando faço esse trabalho com a energia do meu corpo. Seria um calor, calafrios, qual é a sensação?

    ResponderExcluir
  3. O ev é o meu sonho, pena que o instinto humano me atrapalhe um pouco para dominar tal técnica incrível .

    ResponderExcluir